Aprendizagem no fluxo de trabalho: vença os desafios da capacitação corporativa

Segundo o levantamento “Panorama de Treinamento no Brasil”, desenvolvido pela ABTD (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento e Integração Escola de Negócios) as empresas realizam uma média de 15 horas de treinamento por ano com seus colaboradores.

E os próprios funcionários dizem não atingir todo o seu potencial por conta da falta de oportunidades de desenvolvimento. É o que descobriu a pesquisa “Work and Learning”, feita pela Universidade de Middlesex, no Reino Unido.

Colaboradores que não se sentem reconhecidos ou não enxergam um futuro dentro da empresa tendem a pedir demissão. Em 2021, o Fórum Econômico Mundial divulgou um estudo que metade dos 100 mil pesquisados estavam insatisfeitos com o trabalho. No Brasil, 25% dessas pessoas já tinham pedido demissão ou estavam pensando seriamente no assunto.

O inventor americano Benjamin Franklin disse que “um investimento em conhecimento paga os melhores interesses”. Mas como aumentar o número de horas de treinamentos corporativos realizados?

O conceito

A saída para vencer esse desafio pode estar no conceito de aprendizagem no fluxo de trabalho. Apresentado em 2018 por Josh Bersin, palestrante e autor de livros sobre educação no local de trabalho e tecnologias de apoio ao aprendizado, sua pesquisa mostrou um contrassenso.

Feita com mais de 4 mil profissionais, quando as pessoas foram questionadas sobre como sua aprendizagem no local de trabalho poderia ser melhorada, a questão mais comum foi que eles não têm tempo suficiente para aprender. Entre os que responderam, 58% queriam aprender no seu próprio ritmo e 49% gostariam de aprender no fluxo do trabalho.

Por que então não aprender enquanto se realiza uma atividade de trabalho?

Nossos dias estão lotados. Com prazos curtos a serem cumpridos e reuniões, parece não haver tempo suficiente para adicionar uma capacitação sobre metodologias ágeis ou aprimorar as habilidades de gestão.

Bersin descreveu uma metodologia baseada na aplicação de “pílulas de conhecimento” distribuídas durante a jornada de trabalho.  Inclusive, sua pesquisa revelou que o período de aprendizagem deve ser de apenas 4 minutos por dia.

Situação hipotética

Os funcionários geralmente se deparam com situações em que precisam de novas informações para dar suporte a uma atividade urgente. Por exemplo, imagine uma empresa que acabou de lançar uma linha nova de produtos.

A partir da abordagem de aprendizado no fluxo de trabalho, os times de desenvolvimento, produção e comercial podem ter acesso a vídeos, podcasts, apresentações, jogos e explicações em texto sobre os mais diversos pontos dos lançamentos.

Será necessário desenvolver um ambiente que estimule o aprendizado. E as ferramentas que ajudam os colaboradores a aprender no fluxo de trabalho são baseadas na adequação do conteúdo aos interesses, talentos e ritmo de desenvolvimento sem sobrecarregar as habilidades cognitivas.

A pesquisa de Josh Bersin revelou que os colaboradores que passam tempo aprendendo no trabalho têm 47% menos chances de ficarem estressados ​​e 39% mais chances de se sentirem produtivos e bem-sucedidos.

Autoestima em alta

Adquirir novas habilidades e resolver problemas pode ser construtivo para a autoestima e ajuda a eliminar o estresse no trabalho. Indivíduos que aprendem no fluxo de trabalho estarão um passo à frente, pois tomarão decisões mais informadas porque acessaram o necessário quando mais precisavam.

Mudar a maneira como se aprende e se desenvolve precisa ser uma das principais prioridades das empresas nos dias de hoje. Microlearning e combinação de aprendizado com trabalho: essas são as tendências mais recentes.

E cada dia de trabalho traz novos desafios de negócios e oportunidades de crescimento. Ao ajudar sua força de trabalho a aprender e se adaptar em tempo real, você ajuda sua empresa a construir uma vantagem competitiva.

Construir e alimentar uma cultura de aprendizado é uma das coisas mais importantes que você pode fazer para ajudar sua organização a prosperar hoje e no futuro.