Para onde caminha o ERP?

O mundo dos negócios está sempre em franca mudança e a dúvida que paira agora na mente dos executivos é sobre o destino do software de gestão (ERP). Isso porque a tecnologia influencia no gerenciamento dos seus negócios e os empresários precisam estar preparados para os novos tempos.

Creio que dois importantes fatores estão intimamente relacionados ao futuro do ERP. O primeiro deles é a tendência dos fornecedores de TI atenderem às pequenas e médias empresas (PMEs). Uma reportagem publicada no caderno Vida Digital, do jornal O Estado de S. Paulo, menciona “O movimento rumo ao chamado Small and Medium Business (SMB), claro, não está restrito ao Brasil. No País, assim como acontece em outros lugares do mundo, as pequenas e médias empresas atraem a atenção de fabricantes de equipamentos e desenvolvedores de software”. 

Tanto é verdade que Marcelo Kawanami, analista de pesquisa do grupo de Telecomunicações e TI da Frost & Sullivan, compartilha da mesma idéia e afirma que “Não é novidade que a grande maioria dos fornecedores de tecnologia estão focando para o segmento de pequenas e médias empresas. Também não é novidade que este segmento apresenta particularidades, nas quais estes fornecedores devem estar atentos para obter sucesso. O que poucos empresários de pequeno e médio porte sabem é que as grandes fornecedoras de tecnologia, estão focando não apenas no segmento, como também possuem programas e estratégias específicas para atingir este mercado.”

Então, não é apenas uma opinião minha e sim é uma tendência baseada em pesquisas e estudos que o mercado SMB é um dos principais alvos dos fornecedores de tecnologias. Agora vem o segundo fator: a Internet está consolidada. Depois de anos patinando e procurando soluções para problemas de navegação, podemos dizer que agora a WEB está aí e veio para ficar. Mesmo ainda com algumas questões a serem resolvidas, como infra-estrutura em telecomunicações, a Internet no Brasil já é uma verdade. 

Sendo bem otimista, acredito que as telecomunicações no País devem melhorar e baratear daqui há dois anos. A partir desse cenário, suponho que todas as soluções serão hosteadas e seguirão o Conceito Software AS A Service (SaaS). 

Um outro fato importante para adoção do conceito SaaS é que a Microsoft, a maior empresa do planeta em software, está investindo nisso e até montou o programa de incubação Microsoft SaaS, que provê infra-estrutura e serviços para as empresas de web-hosting oferecerem a ISVs. Além disso, a gigante Microsoft anunciou que irá oferecer com desconto licenças para ISVs para ajudá-las a se tornar um provedor de software como serviço. Vamos aguardar e ver.

Marcos Abellón – Diretor Geral da W5 Solutions, empresa brasileira desenvolvedora de soluções de BI e ERP


logo conecte 2014 conteudo

Cliente: W5 Solutions