Como evitar o infarto cardíaco?

Como descobrir se tenho chances de ter um infarto? São vários os fatores apontados por especialistas como indicados para descobrir quem tem maior probabilidade de sofrer de um ataque cardíaco ou até uma morte súbita. Em até 20% dos indivíduos acometidos por este mal, a dor no peito é o primeiro e o último sintoma. Como evitá-lo se a sua progressão geralmente é silenciosa? Para isso, alguns exames podem ajudar. Este assunto será tema do 34º Congresso Brasileiro de Análises Clínicas (CBAC) e 7º Congresso Brasileiro de Citologia Clínica (CBCC) com a palestra “Da prevenção ao infarto agudo do miocárdio: o papel dos marcadores de risco cardiovascular e de lesão miocárdica na prática clínica”, do médico do Hospital Albert Einstein, Dr. Jairo Roberto Neubauer Ferreira.  

Segundo o Dr. Jairo R. Neubauer existem fatores de risco que podem acelerar o processo de formação de placas de gorduras nas paredes dos vasos, alteração esta que pode acarretar no infarto cardíaco. Os fatores de riscos clássicos são diabetes, hipertensão, dislipidemias (alterções do colesterol e triglicérides) e tabagismo, idade e história familiar precoce, dos quais apenas os dois últimos não são passíveis de serem modificados. Existem ainda os fatores de risco condicionantes como sedentarismo, obesidade e alcoolismo que podem levar à instalação dos fatores ditos clássicos (ex. obesidade levando ao diabetes). Por fim, os marcadores de risco como a Proteína C Reativa, a Lp(a), homocisteína e o fibrinogênio. 

“Estimar o risco de eventos cardíacos (infarto ou morte) não é uma tarefa fácil. O estudo de Framingham, principal estudo dentro da área da cardiologia, possibilitou a construção de uma tabela para este fim. Nesta estão incluídos os principais fatores de risco cardiovascular dando pontuações ou pesos a possíveis alterações. Infelizmente tal ferramenta tem suas limitações, obrigando o cardiologista a estar constantemente buscando outros parâmetros para fazer o ajuste fino desta investigação. Um destes parâmetros é a proteína C reativa, um marcador inflamatório que relaciona-se com um risco 2 a 3 vezes maior de eventos cardíacos. Isto porque a inflamação instabiliza a placa de gordura, podendo levar à ruptura e com isso bloqueio do fluxo sangüíno naquele vaso.” explica Dr. Jairo R. Neubauer.

34º CBAC

O evento terá cerca de 95 palestras de Análises Clínicas com professores e profissionais renomados e contará ainda com uma programação social à noite. Os temas do 34º CBAC estão divididos por seis subáreas: Hematologia, Imunologia, Bioquímica, Microbiologia, Gestão Estratégica e da Qualidade, Biologia Molecular, Parasitologia e Especialidades Diversas. São esperados cerca de 25.000 visitantes, que também poderão ver gratuitamente as novidades em serviços e produtos da área laboratorial na área de Exposição, a qual contará com aproximadamente 100 expositores. 

As inscrições estão abertas para o Congresso e podem ser feitas pelo site: www.cbac.org.br

Serviço:

34º CBAC e 7º CBCC
Data: 10 a 14 de junho de 2007
Horário: 09h às 19h
Local: ExpoMinas – Belo Horizonte (MG)
Tel: (62) 3214-1005
e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
site
: www.cbac.org.br

Sobre o CBAC

Desde 1971, a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas realiza o Congresso Brasileiro de Análises Clínicas com o intuito de aprimorar o conhecimento técnico dos congressistas e apresentar na área de exposição os mais recentes equipamentos, produtos e serviços do setor. Considerado pelos participantes, expositores, conferencistas e o mercado em geral, como o maior e mais importante congresso na área de análises clínicas da América Latina. 


logo conecte 2014 conteudo