O futuro tecnológico é tema do GX27

Três dias com 180 palestras, 170 palestrantes, participantes de 25 países via streaming e 4.500 pessoas presentes no evento. Esse é um resumo do que aconteceu nesta semana no Encontro GeneXus, GX27, no Radisson Hotel de Montevidéu, no Uruguai.
 
Inteligência Artificial, robôs, bitcoins e blockchain, integração e apostas no mundo das startups com Thales Lab foram temas do Encontro Shape Your Future, que incentivou os participantes a acreditar que é possível moldar o futuro à sua maneira.
 
No encerramento do evento Diego Forlán, o jogador de futebol com a maior média de treinamentos e que conseguiu ser o número um da FIFA, ministrou uma palestra junto com Santiago Alfaro, seu personal trainer, contando a sua trajetória para chegar ao sucesso e como trabalhar para ir além do que se é esperado.
 
Já Roberto Musso, músico e compositor nomeado ao Grammy Cuarteto de Nos, contou os passos que o levaram a deixar seu emprego como engenheiro para seguir a carreira de músico. Durante a sua palestra, que foi de grande destaque no GX27, ele relatou a sua história fazendo uma analogia entre a indústria da música com a engenharia, destacando que o que importa em uma profissão é ser criativo, autêntico e não ter medo de experimentar coisas novas. 
 
Mudanças paradigmáticas
 
Para Nicolás Jodal, CEO do GeneXus, o que vimos nos últimos dez anos tem sido mais do que a evolução de diferentes tipos de tecnologias, é uma mudança de paradigma que provavelmente é a mais importante após a Terceira Revolução Industrial. "O tema do momento é a Inteligência Artificial. Todos os dias vemos manchetes nos jornais sobre este assunto e precisamos nos adaptar a isso", disse Jodal, mostrando que a Inteligência Artificial tem sido a base da geração do código GeneXus.
 
Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Blockchain estão entre as tecnologias que são potencialmente poderosas devido o seu desenvolvimento acelerado e potencial de utilização. Além desses temas escolhidos para o GX27 também foram apresentadas palestras voltadas para a gestão da mudança e novas habilidades necessárias, entre as quais se destaca a da Adizes com o tema: o futuro da gestão empresarial. 
 
Cristina Zubillaga, diretora Geral do Departamento de Desenvolvimento Sustentável e Inteligente do Governo da Cidade de Montevidéu, apresentou a palestra “Mundo Real e Digital” e falou sobre os 17 objetivos de desenvolvimento para 2030 e o desafio de transformar cidades mais sustentáveis mesmo com o avanço da tecnologia. 
 
Inteligência Artificial, IOT, Veículos Autônomos e a ficção que se torna real
O medo de ser atacado por máquinas autônomas está longe de desaparecer. De acordo com Jodal, o aumento do poder computacional e a evolução dos sistemas de Deep Learning aproximam a Inteligência Artificial do mercado de trabalho. Ao mesmo tempo encontramos a Internet das Coisas com indústrias de wireless e sensores em plena expansão, com nível avançado de desenvolvimento e um campo cada vez mais explorável (estima-se que em 2020 existirão milhões de objetos conectados).
 
Nicolás Jodal também mostrou um dos protótipos que está trabalhando em conjunto com a Agência Nacional de Inovação (ANII), os veículos autônomos. “No passado nunca teria pensado em programar um telefone ou um relógio, hoje consigo programar um veículo”.  
 
Além disso, Guillermo Moncecchi contou a sua trajetória ao longo de 20 anos de aprendizagem automática no cargo de subsecretário do Ministério da Indústria, Energia e Minas do Uruguai. Alguns uruguaios que moravam em outros países, como Fernando Bracco e Daniel Fernández Koprich vieram ao evento para dizer o que estão fazendo em termos de Robótica e Teleoperação.
 
“Aprender fazendo”
 
Moedas digitais, como os famosos bitcoins, não foram deixadas de fora do GX27 e várias das palestras foram dedicadas à estrutura de desenvolvimento desses sistemas. O Blockchain ou sistema de desenvolvimento de moedas é mostrado como um campo em desenvolvimento e não é apenas uma questão de saber se esta é a moeda do futuro, mas sim se a gestão adequada deste tipo de desenvolvimento poderia trazer consigo a solução para problemas que ainda não foram resolvidos.
 
Muitos dos especialistas que ministraram palestras sobre o assunto concordam que o salto não é apenas tecnológico, trata-se de superar limites para avançar cada vez mais a medida que a tecnologia surpreende e dá resultados inesperados. Aprender fazendo é uma técnica que está sendo colocada em prática no programa de suporte para Startups Thales. Segundo Fernando Brum, da ANII, é preciso coletar a maior quantidade possível de dados e aprender como usá-los. 
 
GeneXus também apresentou seu plano de treinamento e com o Plano Ceibal, chamado "Jovens a programar".
 
Máquinas no paraíso
 
Uma das participações mais importante do GX27 foi a do dominicano, Jose Elías, um dos especialistas em Inteligência Artificial e autor de vários livros sobre o assunto. Elías é um grande otimista sobre o uso humano de novas tecnologias de TI e questionou o público: “Se amanhã nossa mente pudesse ser traduzida em bits e isso nos permitisse estar em vários lugares ao mesmo tempo, onde você gostaria de ir?”. Além de uma palestra cheia de perguntas para instigar a plateia ele defende que não é loucura pensar em corpos fundidos com máquinas, cirurgiões de robôs ou viagens interestelares.
 
Algoritmos à prova do futuro
 
O mundo da inovação significa aprender a fazer as coisas de forma diferente, com formas de produção mais colaborativas. A comunidade GeneXus tem o hábito de trabalhar dessa maneira, ao lado do cliente, resolvendo problemas com soluções cada vez mais amigáveis.
 
"Trinta e três anos atrás, nos reunimos com o único objetivo de resolver o problema das bases de dados corporativas. Hoje, o que fizemos no passado é uma tendência", disse Breogán Gonda, que deu uma palestra contando a trajetória de GeneXus. Durante o bate-papo convocou a Comunidade GeneXus a fazer mais. "Que todos possamos perceber que a tecnologia pode promover grandes sucessos". Ainda falando sobre a relação entre Inteligência Artificial e GeneXus, fez uma análise precisa dos processos em série com o passar dos anos desde a era da Ford até a era dos robôs e mencionou as possibilidades dos robôs na medicina.
 
Breogán acrescenta que ser um especialista em banco de dados atualmente se tornou mais fácil, pois a Inteligência Artificial está mais acessível e mais perto da realidade. Ele concluiu a palestra explicando que GeneXus nasceu capturando o conhecimento dos dados e que atualmente apresenta inovações em suas DSL (idiomas específicos de domínio) como linguagem específica do conhecimento, e as apresentadas GX27 Stencils e no gerador de chatbots. “Este é apenas o começo, continuaremos trabalhando todos os dias com alegria, entusiasmo e generosidade com nossos clientes”, finaliza. 
 
Todas as palestras estão disponíveis on-line no site Encontro GeneXus.

logo conecte 2014 conteudo

Cliente: Artech/Genexus